Antônio Peres

Tempo I

Na parede
O relógio
Cumpre sua missão
Tiq-taqueando
a inexorabilidade do tempo.
Seus ponteiros
Cravam na mente
A certeza de que o amanhã,
Algo incerto,
Virá silenciosamente...
(Deslizando feito uma serpente,
Que aguarda a mão inocente,
Disfarçada,
Entre as folhas da roseira).

Retirado do livro "Retalhos" (1984)

Nenhum comentário: