Tertuliano Amarilha

SE EU FÔSSE UM PASSARINHO

Ah! Se eu fosse um passarinho
Construiria nosso ninho
Com cuidado e com primor,
Entre os ramos da mangueira
Onde a brisa, em voz fagueira,
Ao luar segreda amor!

E, bem cedo, à luz da aurora,
Cantaria à deusa Flora
Sacros hinos de louvor;
Encheria a natureza
Toda lírica, em beleza
De selvático rumor!

Levaria aos teus ouvidos
Os meus cândidos sentidos,
De tormentos tão cruéis;
Depois esvoaçaria,
Esparzindo melodia
Pelos campos e vergéis!
Flores da Noite

Nenhum comentário: