Afonso Alves

soluça / corpo
vermelho entre a pele
flor de raízes sanguíneas

Nas mãos do tempo estivam mistérios, lua cheia
Indica

A mão da noite destrava a chave
da irradiação das palavras mágicas

não há tempo...há tempo?
Graças à intensidade dos dias, rápida concepção
Graças à força da noite, célere concessão
sempre a tonalidade particular
da escolha, simples.

Do homem que sempre diz em silêncio seu desembaraço

Nenhum comentário: