Hélio Taques


Não entendo...

A dúvida do amor, não passa de exaltação dos nervos psicológicos
Ainda que meu coração bata num ritmo pulsante, não consigo compreendê-lo.
Meu deus, cada suspiro que dou, levo meus olhos para o fundo da minha alma.
O que será que perdi em outra vida? o que será que fiz em outra vida?
Não é possível que o amor seja sinônimo de dor.
Ainda que minha mente não saia do meu coração, não posso mais controlar meu atos
Meu deus, cada movimento que faço, faço-o por alguém
O que será que deixei de amar em outra vida? o que será que deixei de fazer em outra vida?
Pois o que sofro nesta, não acho explicação.

Hélio Taques
www.heliotaques.zip.net

Nenhum comentário: