Marilza Ribeiro

SEM TÍTULO
 
Rio e terra / rio e serra
         Rio e barco na avenida dos desterrado
Homem e rio / sentindo o gosto da hora-fruta
         Do sonho e da luta
Rio que brota do peito do homem
         O rio e grito
A canoa que parte levando o sonho do homem
         O sonho e o grito
Mulher e filho na margem do rio
         A mulher e o grito
Força que embala o tempo e o rio
         O tempo e o ritmo
Pés descalços que dançam a batida do tabaque
         A dança da vida
A cantoria que evoca na noite a força do rio
         A dor e o grito
No gesto do homem e a correnteza do rio
         A mulher e o rio
Saia que roda na festa do santo
         A roda e o giro
Flor no cabelo e no rosto a risada
 
Ramo de goiabeira na água do rio
Sarã que recolhe a ramagem vadia
O grito do sol na risada do rio
A dança das folhas e as comadres de rio
A roupa lavada no colo do rio
O peixe apanhado pelo homem-menino
Canoeiro que traça o caminho do rio
Pescador que apanha o segredo do estio
O menino que sonha com jurema do rio
A mão do pescador que toca a viola
A dança dos homens e mulheres do rio
A lua que enlaça o silêncio do rio...
O rio é o rio...

Nenhum comentário: