Leidyanne Andrade

 



A corrente segue seu rumo
Não se pode impedir o fluxo das coisas
Podemos reclamar desta procura
Mas não nos permitiríamos ficar parados.

Para muitos a vida passa de uma janela
Ou talvez por uma multidão
Ela não segue o fluxo
Ela somente segue o que já sabe.

O medo?
Está presente em tudo
Mas o fluxo continua
Não posso seguir o medo.

Preciso seguir o fluxo
Esse caminho esta longe de meus olhos
Longe de onde estou
Os cosmos escolheram o meu caminho para longe
Para evoluir.

Medo me acompanhou
Mas é a oportunidade e o universo me leva.

Não voltarei para trás
O fluxo continua
Em cada vaso
Em cada centímetro de meu corpo.


Leidyanne Andrdade

Um comentário:

Afonso Alves disse...

bem construído e me atendeu no plano sentimental...rsrs