Leidyanne Andrade







Ah! Saudades
Eu poderia escrever menções honrosas
Para um amor tão sacana como o que nos ocorreu.


O carinho que sentimos
Tão diferente desse mundo que nos julga
Não entende
Não compreende.


O diferente, não quer dizer inconsistente
Não quer dizer incoerente
Apenas e a nossa forma de amar.


Amado meu
Ébano das minhas poesias
Que me aqueceu em todas as noites frias
Frias como as pessoas que firme eu as engolia.


Saudosa é a coragem com que as enfrentamos
Não poderia esperar por menos
Sempre nos provando
Sempre esperando por nossa desistência.


Nos não conseguiríamos desistir do que sentimos
Como teríamos a chance de nos amar continuamente?
Sempre provando junto cada pedaço da vida
A vida que nos damos.


Junto a você vamos viver
Por que sobre a nossa vida só nós dois poderiam os compreender
A dádiva que nos e dada
a chance de conseguimos estar perto
Perto é essa chance que esta para acontecer.


Não vejo logo essa hora chegar
Chegar com aquelas lindas flores
Flores que se tornaram o nosso convívio
Convívio esperado por anos, por nós.


Nós estamos agora aqui
Aqui sempre foi o nosso lugar
Então me diga, como pensam que poderíamos desistir?
Por que elas não se dão a chance de viver elas mesmas?
Só peço
Deixe-nos em paz
Deixe nossos corações em paz.

(Leidyanne Andrade)

Um comentário:

Rubem Dutra disse...

Meus parabéns,achei muito interessante e inteligente o seu o seu poema, é tenho outra linha de escrever, os meus é mais de fundo de quintal. abraços