Vagner Braz

NINGUÉM VÊ



Na minha alma brotou

A arte da vida

E hoje tenho honra

De ser desta terra mato-grossense

Na estrada do Homem

Caminho sem chorar

Água, comida e você

Grita e ninguém vê

Que o amor chega

Senta e ninguém ouve

Mas, porém, portanto

Acaba e só eu ouço

Sinto, choro e ninguém vê!

Nenhum comentário: