Vagner Braz

A poesia é o momento do imaginário, das vidas que eu não habitei ou das que eu ainda vou viver ou das que eu vivo pelos outros. O poema de hoje, no entanto, é diferente. Talvez a tessitura não esteja tão boa. Talvez os versos não estejam tão bem trabalhados. No entanto, foi o que eu quis escrever.

VASSALAGEM AO NATAL

É noite de Natal,
E eu sozinho com a solidão,
Num quarto de natureza escura
Perto da Rodovia 174
Ouvindo o silêncio da noite

Nesse mesmo momento na cidade
Hás pessoas bêbadas e em felicidade
Furando sinal vermelho
Explodindo suas alegrias
Ao doce toque de vinho, cerveja ou whisky
Em vassalagem ao natal de Cristo.

Em breve terei terminado esta poesia de...
Pela madrugada
Tomarei banho de água fria,
Voltarei para cama,
Comerei um pão,
Estirado na cama,
Esperando o celular tocar,
É noite de Natal, e eu sozinho.



FELIZ NATAL!

Um comentário:

Rubem Dutra disse...

O poema é um vestimento ou seja uma roupagem da inspiração, que se apresenta no papel, para todos os tipo de gosto! você as veses se arruma para uma apresentação, muito gosta, só você não gosta, ou as vezes tudo é o contrario, eu gostei de seu poema, me levou aos meus tempos de infância, pois falou de uma vida simples sem alienação, até nos dias de hoje muito tem esse privilegio de viver assim! muitos vive feliz e sem nem um tipo de pressão e uma mente livre, meus parabéns