Vagner Braz


SEUS ESPELHOS






Desde o princípio
No universo
A beleza
É qualquer coisa
Que extasia
A todos os seres
Pedra,
Árvore,
Água,
Águia,
Homem,
Mulher,
E seus espelhos
Que feios quebram em transparências
Independente da origem ou da língua
O belo descreve a semântica,
A sintaxe, a morfologia, a fonética,
Porém, o trágico em vida acontece!
A intuição matou Narciso,
Ou a beleza de Ser Homem?
Nossos olhos... Ilude o feio?
E o belo?
Está intrínseca ao ser humano,
Com o sentimento trágico.
Através de pelejas e palavras
Que corroboram o desembaraço,
Da vida e da vivacidade da alma
Como José de Mesquita o perpetrou.

Nenhum comentário: