Vagner Braz


O CHORO






Poema dedicado a Obra de Arte O Choro de Marcos Anthoni





Imediatamente choram os olhos
Canto-me com o seu choro
A solidão pensa o outrem
Sou vida e sou morte
Dou a mão e água
Por um dia com você
Sobrevém à chuva da minha alma

Como o choro da despedida
Desesperada nos meus olhares

Das faces
Que abarrota o meu coração

Hoje sou eu quem choro
Choros do céu em vida
Chora a Mulher seus bel-prazeres
E Eu à Vida por magnitude quero.



Nenhum comentário: