Dom Aquino Corrêa

Arte poética


Se queres, poeta, que tua alma cante,
Rumo ao céu, como a alada cotovia,
Dá-lhe as asas da prece ardente e pia,
Ao sol da fé, da tua fé radiante.

Estuda, estuda a fundo, noite e dia,
O belo idioma límpido e cantante,
Para engastar a rima de diamante,
No ouro velho da clássica harmonia.

Deixa depois teu estro voar, sem tolas
Preocupações de mestres, nem escolas:
Fala-te o próprio Deus, no amplo universo!

Vai assim ao ideal que é a formosura
Do espírito a brilhar, eterna e pura,
Na áurea beleza plástica do verso!

Nenhum comentário: